quarta-feira, 3 de junho de 2015

Drivers Nike Vapor



Drivers Nike Vapor



Quando o nº 1 do mundo, Rory McIlroy, apareceu na Ryder Cup 2014 com um Driver Nike Vapor Tour, de imediato os comentários e especulações surgiram. Como era possível Rory introduzir um novo Driver numa prova com a importância da Ryder Cup, sem ter estado durante bastante tempo a adaptar-se a esta nova peça de equipamento? Ainda mais, quando tinha passado por um longo período de adaptação, segundo alguns “entendidos”, ao material da Nike Golf, quando se juntou à marca. Claro que o período menos bom que Rory passou na sua carreira quando se juntou à Nike Golf, nada teve a ver com o material, mas as “más-línguas” gostam sempre de especular sobre o que não conhecem. Pois bem, ou o novo Driver era realmente uma “bomba” ou Rory só poderia estar louco. A prestação de Rory McIlroy na Ryder Cup 2014 veio confirmar 2 coisas. Rory é realmente um atleta (jogador de golf) de excepção e não estava louco ao levar a jogo o Driver Vapor, que é também um Driver de excepção.
Na 2ª feira após o encerramento da Ryder Cup 2014, cheguei ao Centro de Fitting que a Nike tem em Archerfield (Escócia) e que foi curiosamente inaugurado por Rory McIlroy, para a apresentação da nova gama Nike Vapor. Aí tive a oportunidade de experimentar a nova gama Vapor e ficar a saber que a cabeça do Driver Vapor Tour que Rory utilizou na Ryder Cup, era precisamente igual (tirada da mesma caixa) às que os convidados da Nike Golf iam experimentar. Ou seja, nada foi construído de propósito para o nº1 do mundo, mas sim uma cabeça standard, como qualquer jogador vai ter a possibilidade de jogar a partir de Fevereiro de 2015.
Driver Nike Vapor Tour na mão, address feito, um último olhar para o final do driving range de Archerfiel e um shot executado na perfeição. Um excelente tempo de swing, um voo de bola penetrante e uma distância que me pareceu acima da média. Nova bola no tee, novo swing, a mesma sensação de consistência, voo penetrante e distância acima da média. Isto repetiu-se por mais 4 ou 5 shots. Não, não estou a descrever as minhas sensações e performance ao experimentar este novo Driver, mas sim aquilo que vi Francesco Molinari fazer ao meu lado, no Centro de Fitting Nike Golf. Francesco Molinari comentou, que a diferença que sentia neste Vapor Tour face ao Covert Tour, era uma saída de bola da face do Driver mais rápida, maior consistência no voo e um ganho de aproximadamente 7 metros em relação ao Covert Tour. Necessitou de ajustar o loft do Vapor Tour em relação ao seu antecessor (um pouco mais de loft), para optimizar o seu voo de bola e assim conseguir uma melhor performance.
Sim, mas isto é num jogador de craveira mundial, que como normalmente dizemos em gíria de golfistas, até com um pau bate bem. E nós, comuns golfistas? Será que sentimos diferenças em relação ao Driver anterior? Será que existem assim diferenças significativas que justifiquem a mudança?
A Nike apresentou 3 versões do novo Driver Vapor. O Vapor Flex, Pro e Speed. Todos com opções de loft ajustável (de 8,5º a 12,5º) e com 3 posições de face ajustável (left, neutral, right), proporcionando assim 15 combinações diferentes.
Comparativamente à gama Covert anterior, o Vapor Speed, vem ocupar o espaço do anterior Covert Performance, o Vapor Pro, o do anterior Covert Pro, sendo que o Vapor Flex, não tem na gama Covert um Driver similar, pois inclui tecnologia que até ao momento a marca não tinha ainda utilizado.
Na gama Vapor, além da cavidade na parte de trás da sola (Cavity back), redesenhada e melhorada, apresentada na gama Covert 2013 e 2014, a Nike Golf reintroduziu a “compression channel”, já utilizada nos seus Drivers Nike VR em 2010, mas completamente redesenhada. Esta câmara de compressão, foi projectada para variar em termos de flexibilidade (é mais rasa no centro e mais profundo em direcção ao calcanhar e ponta) para melhorar a forma como a face do Driver flexiona nos impactos no centro da face, mas também nos shots descentrados/falhados. A Nike Golf tornou também o seu hosel Flex Loft mais leve, permitindo assim reposicionar o peso em áreas mais úteis da cabeça do Driver.



O Driver Vapor Speed, é destinado a jogadores que necessitam de um ângulo de lançamento alto e de potenciar a distância. É o Driver que oferece mais “perdão” na família Vapor, pois reduz os efeitos de side spin nos shots batidos fora do centro da face. De fábrica vem equipado com uma vareta Fubuki Z 50, ultraleve, da Mitsubishi.
Os Drivers Vapor Pro e Vapor Flex, são construídos com a mesma plataforma, sendo a versão Flex a mais ajustável da família Vapor. Construídos a pensar em jogadores que necessitem de trabalhar a bola, geram ângulos de lançamento mais baixos que a versão Speed e oferecem menos “perdão” nos shots descentrados. Ou seja, mais adaptados a jogadores de handicaps mais baixos, que tenham o swing mais treinado e “domesticado”.
A tecnologia de ajustamento secundária do Vapor Flex, chamada Flex-Flight, expande as opções do Vapor Flex para permitir um total de 30 possibilidades de ângulos de lançamento. O sistema, utiliza uma peça de peso variável (uma extremidade pesa 9 gramas e a outra 0,5 gramas) que é colocada numa cavidade na parte traseira debaixo da cabeça do Driver. Ao ajustar a posição da peça, o Centro de Gravidade da cabeça do Driver pode ser movido para a frente e para trás (ou seja no sentido da face ou da parte de trás da cabeça do Driver), alterando de forma eficaz os níveis de spin e ângulo de lançamento da bola. Segundo Nate Radcliffe, Engenheiro da Nike Golf responsável pelo projecto, “o sistema Flex-Flight, de cilindro/peso só é possível pela utilização de resina de polímero RZN, que se encontra nas nossas bolas de golfe e também nos novos ferros da gama Vapor. As características únicas da resina RZN é que permitem remover e realocar massa dentro de uma cabeça de um taco de golfe."
O Vapor Pro e Vapor Flex vêm de fábrica equipados com uma vareta Diamana S + Blue Board da Mitsubishi.
A Nike Golf vai disponibilizar um conjunto de varetas custom, para que nas sessões de fitting, os seus clientes possam encontrar a melhor combinação cabeça/vareta, para as características do seu swing.

Agora a resposta às perguntas que eu tinha formulado atrás. Será que sentimos diferenças em relação ao Driver anterior? Será que existem assim diferenças significativas que justifiquem a mudança?
Pois bem, tenho estado a experimentar estes novos Drivers e deixo o meu testemunho, ficando para cada um dos leitores, a interpretação e resposta a que queiram chegar.
Driver Vapor Speed é uma evolução face ao Covert 2014. Mais “perdão”, maior velocidade de saída da bola da face do taco (dados comprovados com recurso ao sistema de radar Flightscope e com recurso à utilização da mesma vareta em ambos os Drivers), com consequente ganho de distância. Maior consistência do tee.
Driver Vapor Pro é mais “user friendly” que a versão Covert Pro 2014, conseguindo-se utilizar esta versão com ganhos significativos na gestão do ângulo de lançamento e níveis de spin. Consegui consistência nos tee shots, algo que com a versão Covert Tour não conseguia. Um Driver mais Pro que o Speed, tal como o próprio nome indica, mas que abre mais o espectro de jogadores que o podem utilizar.




Driver Vapor Flex, o mesmo feeling que o Vapor Pro e as mesmas sensações, mas aqui com a possibilidade de um “fine-tunning” que poderá e será certamente útil a quem bate sempre no centro da face do Driver.
Pelos meus comentários, facilmente chegará às respostas que eu daria às perguntas que formulei.
E como se tudo isto não bastasse, a Nike Golf quer tornar o “Volt” a cor da moda em 2015!

Boas tacadas!

Fernando Serpa

Sem comentários:

Enviar um comentário